O relatório Infrascope 2014: Avaliação do Ambiente para Parcerias Público-Privadas na América Latina e no Caribe foi elaborado pela Economist Intelligence Unit, a pedido do Fondo Multilateral de Inversiones (Fomin), membro do Grupo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O relatório bianual avalia a capacidade de 19 países para mobilizar investimento privado em infraestrutura por meio de PPPs. A edição de 2014 do Infrascope foi lançada na Conferência PPPAmericas do Fomin, que acontece no Uruguai entre os dias 13 e 15 de abril.

Segundo o documento, Chile, Brasil, México e Colômbia oferecem as melhores condições para as PPPs prosperarem, sendo que o clima de investimento no Chile, Brasil e México já atingiram a barreira dos 80 pontos, típica de países desenvolvidos.

O relatório observa que o clima regional para investimento privado em infraestrutura vem se consolidando ao longo do tempo, e que o ambiente global para PPPs melhorou desde 2012, quando a última edição do Infrascope foi lançada. Por outro lado, o relatório também conclui que mercados de capitais locais e mecanismos financeiros para o investimento privado ainda precisam ser desenvolvidos. Ainda segundo o relatório, os governos devem reestruturar suas operações a fim de torná-las mais eficientes e, ao mesmo tempo, melhorar as finanças públicas e sua supervisão da gestão de PPPs.

Para conhecer o Radar de Projetos que inspirou o BID e a The Economist a elaborarem o Infrascope 2014, clique aqui.

Para ter acesso ao Infrascope 2014 em inglês, clique aqui. Para a versão em espanhol, clique aqui.