Em reportagem publicada no dia 09 de março de 2017, o Valor Econômico se propõe a analisar a alocação de recursos públicos em projetos de Parcerias Público-Privadas que, apesar de serem  legados que durarão por algumas gerações, estão diretamente conectados com os Jogos Olímpicos de 2016.

A matéria destaca, então, a PPP do VLT Carioca e a do Parque Olímpico.

O sócio da Radar PPP, Guilherme Naves, opinou sobre a motivação acerca do uso das PPPs. “A palavra-chave no caso da PPP é eficiência. Não é recorrer à parceria porque o Estado ou município não tem dinheiro“. Ou seja, segundo Naves, as PPPs da cidade do Rio de Janeiro fazem sentido caso se provem mais eficientes do ponto de vista da alocação de recursos públicos do que outras alternativas possíveis, como por exemplo, quando a própria Prefeitura resolve assumir todos os riscos de implementar a infraestrutura e prover o respectivo serviço público ao longo dos anos.

A reportagem completa pode ser acessada clicando aqui.